Fernando Schlaepfer

Fundador / Diretor Criativo / Fotógrafo

Rio de Janeiro

Site pessoal
http://instagram.com/anendfor/

Schlaepfer começou a atuar profissionalmente na fotografia registrando skate – teve sua primeira foto publicada aos 15 anos de idade e "descobriu" que as imagens que fazia por diversão com os amigos poderiam se tornar algo a mais quando começou a ser chamado por algumas marcas do meio para outros trabalhos comissionados.
Ainda durante o colégio viu o mesmo se repetir no universo da música – começou fotografando bandas de punk e hardcore do Rio de Janeiro e São Paulo, depois foi chamado por algumas delas para fazer os registros oficialmente e se viu em meio a turnês internacionais, não parando de se meter em furadas mundo afora para fotografar o que gosta / vive / consome desde então.

Em meados da sua faculdade (de Comunicação Visual) entrou para a Seagullsfly, onde começou sua relação mais próxima com a moda e publicidade. Trabalhou como fotógrafo e artista de manipulação digital por alguns anos, atendendo a clientes como Farm, L’Oreal e Coca-Cola, entre outros.

Após passar pela Café, como fotógrafo e diretor de arte, foi para a criação na Globo.com, e em paralelo, sempre manteve projetos fotográficos autorais; participou de exposições no CCBB, Caixa Cultural, Homegrown e Banx , teve fotografias publicadas em capas e matérias de importantes jornais (como The New York Times, O Globo, Estado de São Paulo e Jornal do Brasil), revistas nacionais (Vogue, Marie Claire, Rolling Stone, Trip, TPM, Playboy, Vice, Noize, Void, VIP) e internacionais (Vogue Nederland, Vice Deutschland, Skate and Annoy, Allextreme), e se estabeleceu no mercado de moda, tendo fotografado campanhas, editoriais e peças publicitárias para marcas como adidas, Nike, Puma, Dress To, Oh Boy, Redley, MCD, Armadillo, Reserva, Wöllner, Livo, Pyramid, Warner, Budweiser e Gatorade, entre outras.

Simultaneamente (sabe-se lá como) produz e toca em diversas festas e festivais, mas não é só um "fotógrafo ataca de DJ": Schlaepfer tem uma respeitada trajetória, tocando há mais de uma década por todo o mundo.
É residente de festas no Rio e São Paulo, mas também toca de Porto Alegre, Brasília, Recife, Belo Horizonte e metade desse Brasilzão a Berlin, Los Angeles e São Francisco, passando por alguns dos festivais mais legais do mundo – dos nacionais Rock in Rio e MECA ao incrível Burning Man. Não a toa, recentemente foi considerado um dos principais agitadores culturais do Rio de Janeiro pelo jornal O Globo.

No meio disso, há uma década, criou um tal de I Hate Flash. Mas se você tá lindo isso aqui no site, não temos que explicar muito mais, né?